Abel Braga diz que morte do filho não influencia no seu trabalho no Flu

Quase dois meses após a morte de seu filho, o técnico Abel Braga falou sobre a perda de João Pedro, que caiu do apartamento em que vivia, no Leblon, Rio de Janeiro.
Abel voltou a comandar o time na mesma semana do ocorrido e foi homenageado pela torcida do próprio clube e do adversário. Ele se emocionou muito na ocasião.
Esta semana, o treinador decidiu comentar um questionamento de um repórter do O Globo. Ao SporTV, ele falou sobre o caso.
“O que acontece é surpreendente. Vou te falar, eu não sei se isso faz parte da nossa cultura, desse sangue latino. Depois da matéria do GloboEsporte.com (uma entrevista concedida ao site), eu também fiz uma matéria para o SporTV, que foi na mesma conferência. E o Rafael Oliveira (repórter de “O Globo”) perguntou (na coletiva) se eu estava abatido pelo problema do meu filho. Acabou a entrevista, eu passei pelo corredor e perguntei para ele: ‘Por que você me perguntou isso? Hoje, um mês após a morte do meu filho, você veio me perguntar se eu estava abatido’. Primeiro que a minha vida pessoal não tem nada com a profissional. Eu disse para ele que, dois dias após o falecimento do João, eu estava dando treino e, quatro dias depois, eu estava no Recife comandando o time contra o Sport. Assim foram todos os dias até agora. Isso aqui é uma coisa que me faz bem. É lamentável as pessoas que perguntam determinadas coisas e querem que você responda determinadas coisas que interessam para elas. Eu não respondo. Eu o questionei, educadamente, o motivo da pergunta. Ele não tem que me fazer essa pergunta. Ele está aqui para me falar sobre o Fluminense. Situações sobre mudanças, sobre o momento e o que eu espero. Eu falo que a minha grandeza está na verdade. A dedicação que eu tenho com esse clube é ímpar. Me sinto bem no clube, com as pessoas, com o torcedor. Isso aqui é o contrário. Não tem como eu me abater.”

CATEGORIAS
Compartilhar Esse

COMENTÁRIOS

Wordpress (0)
Disqus ( )