Ana Rosa Campos, criadora da FRIDA, é vencedora do Prêmio Espírito Público

Ana Rosa Campos, criadora da FRIDA, é vencedora do Prêmio Espírito Público

A escrivã da Polícia Civil, Ana Rosa Campos, criadora do Chame a Frida, foi uma das vencedoras no eixo setorial Segurança Pública do Prêmio Espírito Público 2021. Ela e os outros dois vencedores da categoria Pessoas que Transformam, Cintia Aires (RS) e Felipe Scarpelli (DF), buscam garantir a proteção e a defesa social, por meio de ações de prevenção e resolução pacífica à violência, à criminalidade e aos atos ilícitos.

Policial civil em Manhuaçu há nove anos, Ana Rosa Campos foi uma jovem que sempre gostou muito de ler e tinha o desejo de, um dia, escrever um livro. Sonhava em se tornar professora universitária, mas a vida acabou a levando a uma profissão muito diferente: policial civil. Ainda na faculdade de Direito, sempre teve interesse pelas matérias voltadas para Direitos Humanos. Ela sabia que entrar na polícia seria uma forma de defender grupos mais vulneráveis e combater o machismo e outras atitudes que não concordava dentro da corporação. Em 2012, ingressou na Polícia Civil e teve um papel relevante na construção de projetos que mudaram a vida de muitas mulheres.

Durante a pandemia, Ana Rosa percebeu que muitas vítimas de violência doméstica deixaram de denunciar seus agressores por estarem confinadas com eles. Foi quando decidiu criar o projeto Chame a Frida. Frida é uma atendente virtual do WhatsApp que funciona 24 horas por dia e encaminha as mensagens enviadas a ela para um policial de plantão. A ferramenta ainda identifica a urgência do atendimento e a vítima pode até enviar a sua localização. Com a iniciativa, há quase dois anos não ocorre nenhum caso de feminicídio em Manhuaçu. O município abraçou a Frida de tal forma que ela virou projeto de lei, com o objetivo de ser implementado em todo o estado. O projeto também ganhou o Prêmio Inova Minas Gerais e venceu o prêmio do Judiciário Brasileiro – Innovare. Ana Rosa diz que o trecho de uma música do Raul Seixas a define bem: “Trabalho em cartório, mas sou escritor”. Apesar de nunca ter publicado um livro, a policial civil segue escrevendo um novo capítulo na história de milhares de mulheres. Por lutar para que direitos básicos sejam independentes de gênero, Ana Rosa Campos é vencedora no eixo setorial Segurança Pública do Prêmio Espírito Público 2021.

ESPÍRITO PÚBLICO

Os vencedores do Prêmio Espírito Público 2021 foram anunciados na quarta-feira, 15/12, em cerimônia on-line. Em sua quarta edição, o prêmio dedicado aos profissionais públicos do Brasil conta com três categorias: Pessoas que Transformam, Equipes que Transformam e Instituições que Transformam.

Na categoria Pessoas que Transformam, foram homenageados profissionais públicos que trabalham na administração pública, direta ou indireta (incluindo fundações, autarquias e empresas públicas), nas esferas federal, estadual ou municipal. Os vencedores têm, no mínimo, oito anos de atuação no setor público. Esta categoria destaca servidores que atuaram em Assistência Social, Gestão de Pessoas, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Pública. Já na categoria Equipes que Transformam, a área da premiação este ano será a de Educação.

Desde sua primeira edição, realizada em 2018, o Prêmio Espírito Público reconheceu o trabalho de 55 servidores em todas as regiões do país. O objetivo da premiação é identificar, reconhecer e valorizar os profissionais que se destacam na prestação de serviços públicos à sociedade.

A iniciativa é realizada pela Parceria Vamos, constituída por Fundação Lemann, Instituto humanize e República.org, organizações da sociedade civil que atuam no fortalecimento das lideranças do setor público e do terceiro setor.

“O serviço público é fundamental para a modernização do Brasil. Os países que mais admiramos, que são espelhos do nosso futuro, são aqueles em que os profissionais públicos têm o devido reconhecimento pela importância de seus trabalhos. Em um cenário no qual a pandemia agravou as desigualdades sociais e deteriorou as condições econômicas, os profissionais públicos brasileiros foram essenciais para que o país pudesse atravessar o caos e se preparar para dias de recuperação. Reconhecer e valorizar esse trabalho é o objetivo do Prêmio Espírito Público”, destaca Guilherme Coelho, fundador da República.org.

Os vencedores poderão participar de uma imersão em gestão pública. Os premiados também irão compor uma rede exclusiva, formada pelos ganhadores do Prêmio nas três edições anteriores.

Foto Mariza Tuelher Fotografias 

CATEGORIAS
Compartilhar Esse

COMENTÁRIOS

Wordpress (0)
Disqus ( )