Dois anos sem feminicídio na Comarca de Manhuaçu

Dois anos sem feminicídio na Comarca de Manhuaçu

Nesta quarta-feira, 22/12, a Comarca de Manhuaçu comemora o marco histórico de dois anos sem registros de feminicídio. Enquanto no Brasil os índices de violência doméstica, em razão da pandemia da COVID-19, aumentaram, Manhuaçu teve caminho oposto desta triste realidade nacional.

“Esse marco demonstra que estamos no caminho certo, e os desafios para 2022 são ainda maiores: multiplicar os dias sem ocorrência desse bárbaro crime e criar novas estratégias para o enfrentamento deste problema mundial chamado violência doméstica’, pontua a Polícia Civil em Manhuaçu. Os números se referem às cidades de Manhuaçu, Simonésia, Luisburgo, São João do Manhuaçu, Reduto e Santana do Manhuaçu.

Em Manhuaçu, à frente da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, está a Delegada Dra. Adline Ribeiro, que conta com a equipe de policiais: Ana Rosa Campos, Luis Guilherme dos Santos Azevedo e Renata dos Santos Paula.

A estratégia da Delegacia da Mulher é apostar em respostas rápidas para os casos envolvendo violência doméstica, nos eixos: 1-Prevenção/conscientização da população; 2-Foco nas formalizações das medidas protetivas de urgência; 3-Investimento em políticas públicas (projeto “FRIDA”, “Diálogos Sobre Masculinidades” e “Elzas”; 4- Resposta rápida na prisão de crimes graves e descumprimento de protetiva; 5- Alinhamento com a PPVD (PM) e com a rede de apoio para a proteção integral das meninas e mulheres vítimas de violência doméstica, e 6- Celeridade na conclusão dos inquéritos para a rápida punição dos agressores na seara criminal.

A PPVD (Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica), da Polícia Militar de Manhuaçu, atua tanto isoladamente, quanto em conjunto com a DEAM/ Manhuaçu, sendo que compõem a equipe, atualmente, o Sargento Ailton e a Cabo Elenice. A PPVD realiza monitoramento dos casos, com visitas aos agressores e às vítimas.

O serviço da PPVD não se limita ao importante monitoramento, sendo que ainda realiza análise dos casos mais críticos e encaminha as vítimas para a Delegacia da Mulher, além de incluir essas vítimas em um relatório de risco.

A PPVD, na prática, realiza um serviço de prevenção e de vigilância constante. A patrulha fica, exclusivamente, atendendo a esses casos de segunda a sexta-feira, sendo que, estatisticamente, contribuiu para o trabalho que vem sendo realizado, já que, desde a implementação da PPVD, o impacto foi sentido na queda dos crimes envolvendo violência doméstica.

Os policiais da PPVD realizam troca diária de informações com a equipe da DEAM, com prisões realizadas em ações conjuntas. A Polícia Militar da região, na verdade, atua com empenho e compromisso ímpar ao lidar com esses casos.

Além da DEAM e da PPVD, toda a rede de apoio trabalha na mesma sintonia, e todos são atores fundamentais para o marco de dois anos sem feminicídio na Comarca de Manhuaçu. ‘Temos uma comarca com um Ministério Público e um Judiciário atuantes, onde as protetivas são analisadas, expedidas e entregues para as vítimas e autores em prazo recorde. O CREAS, CRAS e Conselho Tutelar também atuam com protagonismo.

A imprensa, parceira desse trabalho que vem recebendo destaque nacional, coloca em suas pautas, quase que semanalmente, matérias de conscientização, o que fomenta a denúncia.

A Comarca de Manhuaçu foi consagrada com cinco prêmios em razão desse trabalho, sendo que o mais recente foi o “Innovare”, entregue pelo Ministro Dias Toffoli, em sessão solene realizada no dia 07/12.

CATEGORIAS
Compartilhar Esse

COMENTÁRIOS

Wordpress (0)
Disqus ( )